Mercado publicitário cresce no Brasil.

Mercado publicitário no Brasil cresce 17,7% e chega a R$ 35,9 bi em 2010.

O mercado publicitário brasileiro voltou a mostrar vigor em 2010 e movimentou R$ 35,9 bilhões, um salto de 17,7% sobre os R$ 30,5 bilhões do ano anterior. Foi a maior expansão do setor em seis anos, menor apenas que o avanço de 25,7% em 2004. Os dados são do Projeto Inter-Meios, coordenado pelo grupo Meio & Mensagem (M&M) em parceria com a PricewaterhouseCoopers (PwC), e revelam também que, do volume total movimentado no ano passado, R$ 29,1 bilhões foram consumidos pelos anunciantes na compra de espaço publicitário em veículos de comunicação. Além do consumo aquecido o ano todo pelo aumento da renda e pelo desemprego em queda, dois grandes eventos ajudaram a impulsionar os negócios da indústria da propaganda no ano passado: a Copa do Mundo da África do Sul, que mobilizou os grandes anunciantes privados, e as eleições para governador e presidente, que estimularam os gastos públicos com marketing.

TV aberta cresce 21,6% e movimenta R$ 16,4 bilhões.

Como a Copa aconteceu no meio do ano, e os governos (estaduais e federais) em ano eleitoral só podem investir em publicidade até 30 de junho, houve forte concentração de negócios na primeira metade de 2010. — Os investimentos publicitários cresceram 29,8% em relação ao primeiro semestre de 2009. O mercado no ano cresceu quase 18% depois de ficar quase estabilizado em 2009 (alta de 3,9% ante 2008) e, agora, a perspectiva é termos alguns anos bons pela frente, se a economia realmente seguir crescendo entre 4,5% e 5% — diz José Carlos Salles Neto, presidente do grupo

M&M, que prevê um crescimento de 10% no mercado para 2011. A internet voltou a ser o meio em que os investimentos publicitários mais aumentaram: 27,9% em comparação com 2009, fechando o ano com uma fatia de 4,64% do investimento total em mídia. Em seguida veio a TV por assinatura, que viu as verbas publicitárias crescerem 22,95% e sua participação no bolo passar a 3,86%. Em volume de recursos, o destaque ficou com a TV aberta, que recebeu dos anunciantes 21,6% mais que em 2009, totalizando R$ 16,4 bilhões, o que significou 62,9% dos investimentos totais, um recorde desde que o estudo começou a ser feito, em 1990. — Não só pela Copa do Mundo, no ano passado, a TV aberta foi privilegiada pelos anunciantes — observa Salles Neto. Na mídia impressa, as verbas destinadas às revistas cresceram 14,9% (para R$ 1,96 bilhão) e aos jornais, 3,4%, alcançando R$ 3,24 bilhões. A fatia dos jornais

no bolo total ficou em 12,36%, contra 7,5% das revistas. Os investimentos em rádio aumentaram 10,9%, para R$ 1,09 bilhão, ou 4,18% do total. Em volume bem menor, as

verbas aplicadas no cinema cresceram 12,97% e chegaram a R$ 92,2 milhões ( 0,35% do total). Os guias e listas apresentaram desempenho negativo, com queda de 7,78% nas verbas recebidas de anunciantes, para R$ 328 milhões, com 1,24% de share. Trata-se de uma redução que vem acontecendo ao longo dos últimos anos por causa do acesso mais fácil — e customizado — a listas e guias na internet.

 

(reportagem de Ronaldo D’Ercole para O Globo)

Anúncios

Sobre Sapiens Petrópolis

Agência Experimental de Publicidade e Propaganda Estácio de Sá - Campus Petrópolis II Ver todos os artigos de Sapiens Petrópolis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: